ler Aquilino Ribeiro

"Mas, em qualquer altura, alguém que tenha a inclinação solitária, ou atenta, ou simplesmente erudita, abrirá um livro de Aquilino (…) e amará o seu verbo.» A.Bessa-Luís

Category Archives: Rui Marques Veloso

O livro de Marianinha (webfolio)

O webfolio no “livebinder” já está público.

Adoro este livro! Se tivesse que escolher um livro,  apenas um, de todos os que conheço para a infância, talvez escolhesse este. 

livebinderMarianinha

Anúncios

Rui Marques Veloso sobre O Livro de Marianinha

«O Livro de Marianinha apresenta-se como um espaço de liberdade onde Mariana e todas as crianças que queiram nele penetrar poderão brincar com rimas de encanto, ouvir histórias espantosas, repetir lengalengas e trava-línguas que saltitam na boca, conhecer os pequenos bichos que dão alegria aos campos, aprender os ritmos que marcam a vida na aldeia e os saberes que passam de geração em geração. Tudo isto está aqui presente, dimensionado à medida dos leitores mais novos que, tal como Marianinha, ainda têm a pureza no olhar. A liberdade e o profundo amor peJa Natureza são valores que assumem um peso muito grande no legado que o autor quer deixar à neta.
Este último livro é um marco na vasta obra aquiliniana – na forma e no conteúdo nada há de semelhante ao longo dos cinquenta anos de criação literária de Aquilino Ribeiro. Nele se cumprem os ritos da palavra carregada de afectividade que preenchem os momentos mágicos do acompanhamento e do adormecer da criança. Trata-se de um texto riquíssimo, gerador de leituras distintas consoante a idade do receptor: o autor introduz sabiamente elementos que irão ser apreendidos peJa criança à medida que cresce e que vê o mundo com olhos mais experientes e receptivos. Não estranho, pois, que Mariana, em testemunho vivo, se tenha refe¬rido ao prazer de ouvir a avó a ler-lhe o livro e, mais tarde, esse prazer assentar já numa leitura pessoal, muito afectiva. Tinha-se cumprido o desejo de Aquilino.»

Rui Marques Veloso- A obra de Aquilino Ribeiro para crianças : imaginário e escrita. Porto : Porto Editora, 1994. p. 112-113

Nota: publicado também aqui.

Rui Marques Veloso in A obra de Aquilino Ribeiro para crianças : imaginário e escrita

«A segunda obra para crianças que Aquilino Ribeiro escreveu tem o título de Arca de Noé III Classe e um destinatário específico – o filho Aquilino, que o pai trata carinhosamente por Riquinho e também por Ico Barrabico. Para este insaciável devorador de histórias, o autor criou seis contos que apresentam alguns pontos comuns com o romancinho destinado ao outro filho. Testemunha-nos Aquilino Ribeiro Machado que o seu pai afirmava a propósito destes dois livros: “É das melhores coisas que eu fiz como literatura.” (Testemunho registado durante um debate realizado na Fundação Calouste Gulbenkian e integrado no VI Encontro de Literatura para Crianças, em 07 -11-85.) O aparente exagero destas palavras não esconde a carga emotiva que rodeou a criação de histórias destinadas aos filhos e, em seguida, trabalhadas para publicação. (p.89)

(…) No plano da forma voltamos a encontrar alguns dos processos já utilizados no Romance da Raposa. Assim os artifícios rítmicos têm uma componente lúdica capaz de agarrar o leitor: a escolha dos nomes próprios das personagens, as aliterações, as onomatopeias são alguns dos processos que iremos ver mais em pormenor. O receptor que ainda não sabe ler delicia-se a ouvir as histórias, contanto que sejam bem contadas, isto é, que se respeitem os elementos fónicos e rítmicos que, por sua vez, são um suporte do universo diegético.

A simples leitura dos títulos indicia-nos uma temática afim e a exploração de aspectos rítmicos que se apoiam na oralidade. “História de Joli, cão francês, que boa caçada fez” ilustra isto mesmo. A galeria de animais que povoam esta Arca de Noé é vasta, uns intervindo activamente nos contos em que se inserem, outros meros figurantes.
Num testemunho pessoal, marcado por uma profunda sinceridade, Mestre Aquilino diz-nos, a propósito dos seus contos para crianças, que terá sido, de toda a prosa que escreveu, a mais “simples e colorida”. (Aquilino Ribeiro, Abóboras no Telhado, p. 340). (p.92 )   (…)»

Rui Marques Veloso in  A obra de Aquilino Ribeiro para crianças : imaginário e escrita. Mundo de saberes ; 12. Porto : Porto Editora, 1994.  ISBN 972-0-34082-7.

Ler mais aqui)

%d bloggers like this: